quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Um livro e um filme - Carrie, de Stephen King

No sábado á noite fui ao cinema com o namorado ver o filme Carrie.

 

Depois de ler o livro do mestre Stephen King, assim há muiiito tempo, e de recentemente ver o filme homónimo de 1976, rendi-me à curiosidade.

Penso que o livro em si está espectacular (tenciono voltar a lê-lo e adquiri-lo para a minha estante, que é um sacrilégio ainda não o ter feito hihi) e, à sua maneira, os filmes vão fazendo jus ao que foi escrito.

Neste remake, que conta com a grande prestação de Chloë Grace Morezt no papel de Carrie White, conta-se a história de uma jovem, que, desde cedo, sofre as influências negativas do ambiente escolar. Associado aos eventos que vão sucedendo ao longo do filme, a relação de Carrie com a mãe, Margaret, uma fanática religiosa, não é das melhores. E esse é um factor que vai tendo grande impacto no filme, sobretudo na descoberta de algo que Carrie tem dentro de si.

Carrie sobrevive aos tempos de escola e, a uma semana do baile de finalistas, após uma grande humilhação, é-lhe oferecida uma oportunidade de uma vida inteira - a de poder ser uma rapariga normal e de ir ao baile com um dos rapazes mais populares da escola.

Só que algo corre mal (a julgar pela capa do filme, é evidente que sim) e Carrie liberta os poderes recém-descobertos de telecinésia. E então tudo muda...

A nível de efeitos, vale a pena ver o filme numa tela enorme. Penso que houve uma notória melhoria em relação ao original, tendo acrescentado algumas cenas perto do desfecho, onde, maioritariamente, se manifestam os frutos da tecnologia. E a nível de prestações, tenho de gabar o papel de Julianne Moore uau!

Porém (há sempre um mas xD), acho que o primeiro me causou mais impacto do que este...
E tenho várias hipóteses:

- Talvez por ter visto o original, e ao em alguns trechos da sessão tenha dado por mim a pensar "pronto, agora vai acontecer isto..." e meu dito, meu feito, "e depois isto..." e surpresa! não é que aconteceu mesmo? :o.

- Ou então pela Carrie de 1976 ser mais assustadora do que a doce Chloë Moretz xD
Porque embora o anterior tenha sido adaptado à época e feito com actores jovens, este para mim foi um pouco como um filme com adolescentes, lá está, à semelhança do original (só que algumas me deram uns nervos... tipo a Chris e o seu bando. Era um par de chapadas a cada uma para ver se aprendiam. Gosh, olha se filha alguma minha será assim... Hope not!)

Mas no geral, gostei, valeu a pena e foi óptimo para descomprimir xD
Ah! Um ponto positivo que me esqueci de referir! Eu não me ri! Em nenhuma parte soltei a mínima gargalhada ou gracejo - O que é normal acontecer quando vejo filmes de terror... pelo menos, os de hoje em dia (que infelizmente pecam pelo uso cada vez mais recorrente de efeitos e de uma história sem interesse). Eu sei que é estranho, e, porventura, estúpido, mas o que é que se há-de fazer?xD

Classificação: 3,5/5



Então e vocês, já viram, planeam ver? Contem-me coisas :)

4 comentários:

  1. Quero muito ver este filme! Mesmo que não seja nada de especial xP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa boa :P Vê e depois diz-me o que achaste! ;)

      Eliminar
  2. Quero ler o livro e ver as duas versões (e é uma vergonha nunca ter visto a 1º)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca é tarde para o fazer ;)

      Eliminar