sábado, 28 de dezembro de 2013

Prendas de Natal Literárias

Já vos tinha dito que adoro o natal? É sempre uma época tão festiva, tão colorida, tão cheia de vida, com pessoas à nossa volta, risadas, momentos de partilha, e prendas, e doces, ai os doces xD
E prendas literárias eheh
Desde muito cedo, o hábito de leitura foi cultivado, pelo que, tenho a sorte de receber livros quase todos os natais e aniversários. E este ano não foi excepção :D

Este natal fui contemplada com 4 livrinhos:

Um foi uma auto-prenda (esta palavra existe, ou acabei de a inventar? :o):
Encontrei-o na Fnac do Chiado e não resisti em trazê-lo para casa! Já o tinha lido em inglês (quando o requisitei na biblioteca) mas queria mesmo tê-lo na estante. 







Dos padrinhos, recebi mais um da Danielle Steel. Quando me mudei pela 2a vez (já lá vai uma década?), fiz amizade com a vizinha da frente assim que ela me deu carta branca para a sua estante *-* E nessa altura li todos os que ela tinha desta autora. Por isso, estou curiosa com o que este trará.







E, finalmente dos paizinhos :D
Fiquei muito satisfeita pela surpresa :) Mas como em ambos os casos há um livro que os procede, vou esperar até os comprar. Se a curiosidade for muita, bem, dá-se a mão à palmatória e, se for preciso, depois relê-se ehehe

 


E pronto, estas foram as prendinhas deste ano, gostei muito! E espero que o próximo também traga novas surpresas :)
Então e vocês, receberam livros?

Beijinhos, umas excelentes entradas em 2014 e boas leituras!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal!



Hoje é véspera de Natal e faz-me uma certa confusão, porque me parece que o tempo passou rápido demais... No entanto, o importante é que saibemos aproveitar o tempo da melhor maneira, e nos deixemos envolver por este espírito natalicio, apesar de todas as dificuldades e intempéries.
Por isso, desejo-vos a todos e aos que mais gostam, um Feliz e Santo Natal, com muito amor, paz, calor e harmonia!
E aos que gostam de livros, tanto ou mais que eu, que os tenham no sapatinho eheh (Pai Nataal, esta é para ti :P)
Beijinhos!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Aposta Indecente - Matilda Wright, opinião

 
Autora: Matilda Wright
Editora: Livros d'Hoje
Número de Páginas: 240

Sinopse:  

Ela ensinou-lhe que a vida não é um jogo...

Paris, 1854. Um dos homens mais ricos de França, o marquês de Villeclaire tem uma vida luxuosa e despreocupada, onde não falta nada que o dinheiro e a sua posição social possam pagar. Mulheres, jogo, festas, caçadas, palácios…
Mas uma aposta faz com que os destinos de Villeclaire e Catherine Duvernois, uma jovem e misteriosa viúva, se cruzem, numa altura em que uma nuvem negra tolda os dias do belo marquês, prestes a casar, contra sua vontade, com Blanche de Belfort.
A vida de Louis de Villeclaire desmorona-se…
Quem é Catherine Duvernois? E Blanche de Belfort? Alguém está a mentir. Mas quem? Porquê? A resposta mudará para sempre o futuro destas três personagens.

Um romance arrebatador, que se desenrola entre os sofisticados salões da aristocracia parisiense e as deslumbrantes paisagens do vale do Loire, levando os leitores numa viagem inesquecível por cenários de sonho, durante o reinado do Imperador Napoleão III.

Sobre a Autora:
Matilda Wright nasceu em Londres, em 1968. Estudou Literatura Inglesa em Cambridge e vive com o marido na região de Cúmbria, no Norte de Inglaterra, onde criam cavalos. Têm quatro filhos que, de vez em quando, também vivem lá em casa. Aposta Indecente, agora editado pela Livros d’Hoje, é o primeiro dos seus romances a ser publicado, dos muitos que tem escrito desde os seus tempos de Universidade, sem nunca os ter mostrado a nenhum editor.

Opinião:
Portanto, acabo de ler, venha a opinião fresquinha...

A história começa com o seu quê de mistério e intriga em volta da jovem viúva Catherine Duvernois, que, com apenas 22 anos, de um homem muito mais velho, avarento e aparentemente idiota - a sério, quem é que faz uma aposta irrealista de dois mil milhões de francos, e dá a mulher e as suas propriedades como garantia?, vê o seu destino irremediavelmente ligado a um homem, e pelo mesmo método a que foi forçada no passado.
É pois aqui que entra em cena o Marquês Louis de Villeclaire - um mulherengo do piorio, ou libertino e depravado assumido, como não tem problema de admitir. O Marquês é atraente, milionário, um idiota de primeira com as mulheres, mas lá no fundo, bem lá no fundo (imaginem-se a atirar uma pedrinha num poço sem fundo, e depois de não sei quanto tempo ouvem o som da pedra a embater contra algo), até tem um bom coração - influências da sua ama, a condessa Marie de Thievenaz, ou Mimi, que acolhe Catherine, sempre suspeitando que lhe desperta algo de familiar, quando o seu destino a leva ao castelo no Vale do Loire.

Há por ali uma série de mal-entendidos que leva a uma separação dos dois protagonistas. Catherine permanece no castelo, ao passo que Louis regressa à parafernalia de Paris (que é como quem diz, aos bordéis e às festas com os amigos - atenção, o livro está apenas polvilhado com pequenas descrições, nada de grave que possa ferir susceptibilidades -, o rapaz é um libertino. Ponto.)
E como se não bastásse o carácter boémio, ainda por cima é burro. Porque se deixa enlear pela trama dourada de duas senhoras recém-chegadas de Londres - a Viscondessa e a sua filha Blanche de Belfort.

E eis que começa a telenovela. - Porque suas senhorias, não perdem tempo em deitar a mão à fortuna desmedida do Marquês, e não olham a meios para obter os seus objectivos.
A parte divertida dá-se quando a querida amiga de infância de Louis - a Duquesa Isabelle Dufour - toma conhecimento da situação e, através de engenhosas ideias as desmascara (a sério, até para uma telenovela, achei delicioso).

Lá para os capítulos finais, os fios do destino de Catherine e de Louis voltam-se a cruzar (se bem que as circunstâncias não sejam as melhores. A rapariga sofre ali um revés e...) e depois não é que se dá uma transformação no moço? De boémio passa a casto, imaginem só! Juro que fiquei parva, e desiludida. Se bem que em pensamento, continua o mesmo de sempre. Embora mais contido...

E o fim chegou em poucas páginas e se querem saber, soube-me a pouco. Vou-vos ser sincera, estava à espera de mais acção (não propriamente do tipo de acção acção ahah) mas achei o final um pouco chocho... Quer dizer, depois de tantas emoções ao longo da leitura (pura telenovela, porque era assim que me sentia quando via alguma - a raiva contra os vilões; a adrenalina por saber que estão perto, tão perto de serem desmascarados; aquele prazer nas picardias entre personagens, em que se vê a léguas que estão mesmo para ficar juntos... enfim, esse rol de emoções e depois puff.) Algo precipitado, como se a autora já não soubesse o que dizer, ou estivesse apressada para concluir.

Mas pronto, não me posso queixar, porque depois de dois meses e tal para ler o Morte em Pemberley (que foi um bom livro, diga-se de passagem), sabe muitíssimo bem, ler um livro assim em dois dias e meio (valha-me os transportes, que isso de vir a ler no comboio a caminho de casa ajuda ehehe)

Não diria que gostei muito, como gostei de tantos outros, mas pela celeridade da leitura, que até foi fácil (e não tinha letras garrafais xD) e apesar das tricas e dicas e do final qu deixou a desejar, até foi uma leitura leve e agradável.  Por isso vou abrir uma excepção:

Classificação: 3,5/5

domingo, 8 de dezembro de 2013

Morte em Pemberley - P.D. James, opinião



Título Original: Death comes to Pemberley
Autora: P.D. James
Editora: Porto Editora
Número de Páginas: 304


Sinopse:

1803. Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy – o famoso par de Orgulho e Preconceito –, casados há já seis anos e com dois filhos, não podiam estar mais felizes na imponente propriedade rural de Pemberley. Até ao dia em que Lydia, uma das irmãs Bennet, chega à mansão gritando que o marido foi assassinado na floresta.

Em Morte em Pemberley, P. D. James combina as suas duas maiores paixões: a literatura policial e a obra de Jane Austen. O romance é uma clara homenagem à grande autora novecentista, mas faz justiça também às melhores histórias de assassinato, seguindo a tradição dos grandes romances de mistério sobre a aristocracia inglesa. Ou não fosse P. D. James a grande senhora do crime nas terras de Sua Majestade…


Sobre a Autora: 

P. D. James nasceu em Oxford, Inglaterra, em 1920. Durante a Segunda Guerra Mundial trabalhou na Cruz  Vermelha e, em 1949, nos Serviços de Segurança Britânicos. Em 1968, entrou para o Departamento de Polícia do Ministério do Interior. Estreou-se na literatura aos 42 anos, tornando-se uma das maiores escritoras de romances policiais da atualidade.

Opinião:
Pela sinopse, e como o próprio título indica, podemos esperar uma trama envolta no mistério, em que o casal de Orgulho e Preconceito, Mrs. e Mr. Darcy veêm o seu ambiente de paz e harmonia ameaçado pela sombra de uma morte que traz consigo a iminência de um escândalo para Pemberley.

Portanto, há um homicídio. Mas quem será a vitíma? Será realmente Wickham? E quanto ao criminoso, será a sua identidade descoberta e, por conseguinte, levado a justiça? Estando a dúvida lançada e o convite feito para ler, passemos ao que interessa.

Apesar de ter levado para lá de dois meses (shame-on-mee) a ler e de lá pelo meio ter andado a engonhar, quando me vi novamente com tempo para prosseguir com a leitura, esta passou com surpreendente celeridade, acompanhando o desenrolar dos acontecimentos, em que a dúvida permanecia sempre a mesma. Quem seria o culpado? E adjacente a isso, qual seria o motivo que levou a tão hediondo acto?

Penso que a história foi muito bem escrita (afinal quem seria eu para afirmar o contrário? :p), adorei rever as personagens deste clássico de Jane Austen (sou suspeita para falar, uma vez que é o meu preferido :D), e saber que a autora deu um futuro feliz a Elizabeth e Darcy com dois meninos lindos, assim como a Jane e Mr. Bingley.
No entanto, estaria a mentir redondamente se incluísse Mrs. Lydia Wickham nesse rol. Desde o primeiro livro que tenho uma espécie de ódio de estimação por essa personagem. Acho-a estridente, irreflectida e extremamente irritante.
Considerações aparte, além de, mesmo perto do final, quando julgamos que tudo fica por ali, se dar uma reviravolta, achei interessante o que a autora acrescentou à história de certas personagens. P.D. James deu-lhes uma certa profundidade, abrindo uma porta para o passado e mostrando detalhes que se viriam a reflectir no presente, e porventura no futuro.

E mesmo no último capítulo, fiquei surpresa não só com a menção das personagens de outro clássico de Jane Austen, Emma e Mr. Knightley e Miss Harriet Smith, assim como a forma como estas intervêm na história. É curioso que ao longo desta leitura, embora tenha levado o seu tempo a terminar, a autora me foi surpreendendo com estes pequenos pormenores. Resumindo e concluindo, gostei muito e é um livro que recomendo a sua leitura, p.ex., nesta quadra, com mantas em redor, e em frente da lareira.

Classificação 4/5

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Ah, bendita sexta-feira!


É tão bom poder chegar a sexta-feira, ter o temível exame de saúde materna feito, estar cansada (quase zombie com as noitadas), mas nada me tira aquela sensação de alívio de que já me posso sentar confortavelmente na cama (botija de água quente aos pés - semos finas :p) com o livro no colo.



E falando em livros, (para quem a leitura era a passo de caracol xD) posso dizer que me sinto orgulhosa por ter avançado para lá de 70 páginas numa manhã! Não há nada que chegue às esperas nos centros de saúde e depois para fazer análises clínicas xD
Em relação à obra, posso dizer que tomou um rumo que não estava nada à espera. Houve para ali alguma manigância por parte da autora que me deixou de sobrolho erguido e desconfiada...
Mas o que quer que seja que esteja para vir, podem apostar que ainda hoje vou descobrir ehehe

E como estou quase a acabar, aproxima-se opinião aqui no blog (o que quase parece novidade :P)

Mas e então como vai essa vida (se não é indiscrição :p) e essas leituras?

Beijinhos e bom fim-de-semana!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Postal Secreto de Natal

Olá a todos :)

Venho-vos falar na iniciativa mega maravilhosa criada pela Silvana e a Catarina R. dos blogs Por detrás das palavras e Sonhar de Olhos Abertos.


http://pordetrasdaspalavras.blogspot.pt/2013/11/parceria-especial-natal.html

Apesar de ser algo que infelizmente tem vindo a cair em desuso, desde há uns anos voltei ao hábito de enviar postais de natal. Para mim, é sempre mais uma forma de relembrarmos a quem os enviamos que gostamos deles :) E é giro :P
Por isso, quando descobri esta iniciativa, chamada, Postal Secreto de Natal adorei e decidi inscrever-me. A ideia é, nada mais nada menos, do que enviarmos a outros bloggers um postal de natal (que apenas nós sabemos) e recebermos de outro blog (que não sabemos qual é) :) - Como muito do género do Amigo Secreto (adoro estas coisas ehehe)

É ou não é uma ideia gira? Quer para quem envia, como para quem recebe :)

Já sei quem me calhou (e fiquei muito contente com o resultado) e quando receber o meu, prometo que o irei postar aqui no blog :)

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Sê bem-vindo, Dezembro!

Ena! A rapidez com que o tempo passa...

 


À parte o frio (que me deixa as mãos e pés ainda mais geladas! Sim, porque já é uma constante na minha vida xD), adoro este mês :) A qualquer lado que vá, vejo tudo a ficar iluminado e decorado conforme a quadra natalícia dita eheh


Este fim-de-semana fiz escala no Banco Alimentar, e enche-me sempre o coração ver que cada um, seja como voluntário ou quem doa, consegue dar sempre um bocadinho de si para quem mais precisa :)

Esta semana é altura de exames (se o anjo de natal aparecesse mais cedo com um milagre... :p) e depois disso, espero poder pôr a leitura (finalmente) em dia! - eu já me rio, porque já ando a dizer isto há montes de tempo, e o que avança é a passo de caracol, contrariamente à lista de desejos que não para de aumentar ahah

Fora isso, e sempre imbuída deste espírito natalício de dar e receber, aderi a uma maravilhosa iniciativa (da qual vos irei falar mais tarde) e ando a planear um miminho para vocês ;)

Beijinhos e boas leituras!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Picture Puzzle #13







Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar que representem as palavras que compõe o título (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal



Prontos? Aqui ficam os puzzles desta semana:



Puzzle #1
Pista: Obra traduzida em português.

 


Puzzle #2
Pista: Romance Histórico, Literatura Lusófona.

http://edgblogs.s3.amazonaws.com/mulher7por7/files/2009/10/gosselin.jpg


Boa sorte e divirtam-se!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Sete Pecados Literários [Tag]



Encontrei esta tag no blogue da Mónica, A Thousand Lives, que posteriormente o trouxe até nós do blogue Papéis e Letras, e consiste em aplicar os sete pecados literários ao mundo literário!

Ganância: Qual é o teu livro mais caro? E o mais barato?
Curioso... O mais caro,  não sei xD
Vem-me, no entanto, à cabeça (e posso estar errada) que foi "A Felicidade Mora ao Lado" de Jill Mansell, a 16€ há um bom par de anos na fnac, e o mais barato tenho ideia que foi o "Fumo Azul" da Nora Roberts a 4€(?)

Ira: Com que autor possuis uma relação de amor e ódio?
Com o excelentíssimo, dignissímo, ilustrissímo Sr. George R. R. Martin. É certo que ainda não passei do segundo livro, no entanto, se por um lado este autor tem a habilidade de me cativar e prender até à última página, por outro, tem a bruta mania de andar por aí a matar personagens! (Como ainda disse à Mónica, cá para mim, pega em papéis com os nomes lá escritos, atira ao ar e aquele que cair com o nome para cima, pimbas, já foste!)
 
Gula: Que livro devoraste sem vergonha?
Pergunta complicada, se formos a analisar pelo último (já foi há tanto tempo! "era eu uma criança, lalala") 
Mas puxando pela cabeça, "Fumo Azul", de Nora Roberts. Mas sem dúvida que qualquer livro desta grande senhora nos consegue cativar :) (ok, se calhar nem todos, mas vocês perceberam a ideia eheh)
 
Preguiça: Que livro negligenciaste devido à preguiça?
"Morte em Pemberley", de P.D James.
Isto começou com a falta de tempo... que se estendeu à preguiça... Mas prometo que vou acabar de ler (este ano ahah) porque o livro até é interessante só que... :P

Orgulho: Que livro tens orgulho de ter lido?
A colecção de contos das Irmãs Brontë - livro gigante, com muitos contos destas três célebres irmãs. Foi lento, que foi, mas consegui ler as 1488 páginas ;)

Luxúria: Que atributos achas mais atraentes em personagens masculinos e femininos?
Hum, quando leio gosto que sejam sólidas e bem construídas, com personalidades fortes e carismáticas, ao ponto de te cativarem, mesmo que algumas sejam tremendamente irritantes. (Esses são os requisitos mínimos que me fazem não distribuir mental slaps pelas personagens irritantes)

Inveja: Que livros gostarias que te oferecessem?
A Lista é enorme, visto ter-se vindo a acumular desde há bastante tempo :P
Mas no imediato  (e caso a mãezinha, amigos e afins repararem nisto) pedia encarecidamente os seguintes:
- O Sedutor,
- Mil Noites de Paixão,
- Deslumbrante
- Provocadora, de Madeline Hunter.

Ou das novidades, que, para mal dos meus pecados, e da minha carteira, mais parecem cogumelos!
- O Golpe, de Janet Evanovich
E uns quantos da Lisa Kleypas.
Ou os três últimos da Lesley Pearse.

Portanto, entre o Pai Natal, façam o favor de se revezar :D ehehe


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Um livro e um filme - Carrie, de Stephen King

No sábado á noite fui ao cinema com o namorado ver o filme Carrie.

 

Depois de ler o livro do mestre Stephen King, assim há muiiito tempo, e de recentemente ver o filme homónimo de 1976, rendi-me à curiosidade.

Penso que o livro em si está espectacular (tenciono voltar a lê-lo e adquiri-lo para a minha estante, que é um sacrilégio ainda não o ter feito hihi) e, à sua maneira, os filmes vão fazendo jus ao que foi escrito.

Neste remake, que conta com a grande prestação de Chloë Grace Morezt no papel de Carrie White, conta-se a história de uma jovem, que, desde cedo, sofre as influências negativas do ambiente escolar. Associado aos eventos que vão sucedendo ao longo do filme, a relação de Carrie com a mãe, Margaret, uma fanática religiosa, não é das melhores. E esse é um factor que vai tendo grande impacto no filme, sobretudo na descoberta de algo que Carrie tem dentro de si.

Carrie sobrevive aos tempos de escola e, a uma semana do baile de finalistas, após uma grande humilhação, é-lhe oferecida uma oportunidade de uma vida inteira - a de poder ser uma rapariga normal e de ir ao baile com um dos rapazes mais populares da escola.

Só que algo corre mal (a julgar pela capa do filme, é evidente que sim) e Carrie liberta os poderes recém-descobertos de telecinésia. E então tudo muda...

A nível de efeitos, vale a pena ver o filme numa tela enorme. Penso que houve uma notória melhoria em relação ao original, tendo acrescentado algumas cenas perto do desfecho, onde, maioritariamente, se manifestam os frutos da tecnologia. E a nível de prestações, tenho de gabar o papel de Julianne Moore uau!

Porém (há sempre um mas xD), acho que o primeiro me causou mais impacto do que este...
E tenho várias hipóteses:

- Talvez por ter visto o original, e ao em alguns trechos da sessão tenha dado por mim a pensar "pronto, agora vai acontecer isto..." e meu dito, meu feito, "e depois isto..." e surpresa! não é que aconteceu mesmo? :o.

- Ou então pela Carrie de 1976 ser mais assustadora do que a doce Chloë Moretz xD
Porque embora o anterior tenha sido adaptado à época e feito com actores jovens, este para mim foi um pouco como um filme com adolescentes, lá está, à semelhança do original (só que algumas me deram uns nervos... tipo a Chris e o seu bando. Era um par de chapadas a cada uma para ver se aprendiam. Gosh, olha se filha alguma minha será assim... Hope not!)

Mas no geral, gostei, valeu a pena e foi óptimo para descomprimir xD
Ah! Um ponto positivo que me esqueci de referir! Eu não me ri! Em nenhuma parte soltei a mínima gargalhada ou gracejo - O que é normal acontecer quando vejo filmes de terror... pelo menos, os de hoje em dia (que infelizmente pecam pelo uso cada vez mais recorrente de efeitos e de uma história sem interesse). Eu sei que é estranho, e, porventura, estúpido, mas o que é que se há-de fazer?xD

Classificação: 3,5/5



Então e vocês, já viram, planeam ver? Contem-me coisas :)

domingo, 17 de novembro de 2013

Maravilha das tecnologias

Eu sei que é tarde, mas tinha que vir cá partilhar isto convosco!

Nos entrefolhos do meu estudo de Família e Comunidade, deu-se-me para fazer uma pausa, e pelo depois de uma grande volta (ahaha) descobri que há uma mini-série (ainda por realizar, mas está quaaaase) do livro que (ainda, snif snif) estou a ler! *-*
Death Comes to Pemberley - Morte em Pemberley, de P.D. James.
E com isto, o estudo ganha novo ânimo eheh

Eu sei que tenho andado desaparecida - ora com muito trabalho, ora doente (obra do Sr S. Pedro e de quem inventou o ar-condionado...) - e a leitura vai andando a passo de caracol, quando há alguma brecha. Mas como estou a duas semanas de acabar as aulas (omg) e como o mês de dezembro há-de ser todo para preparar-me para os estágios (duplo omg), estou a contar pôr a leitura em dia e dedicar-me mais ao blogue :)

Então e que leituras vos têm acompanhado? :)

Boa noite, beijinhos e boas leituras!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Picture Puzzle #12




Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar que representem as palavras que compõe o título (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal

O Picture Puzzle desta semana é assim um pouco para o estranho, confesso xD Foi um dia comprido e com a imaginação, claramente em baixo, foi isto que me ocorreu, mas vou tentar ajudar nas pistas eheh

Prontos? Aqui ficam os puzzles desta semana:


Puzzle#1
Pistas: Título estrangeiro. Conjunto de contos românticos.











Puzzle #2
Pistas: Título Fantástico, traduzido para português










Divirtam-se e boa sorte que eu vou descansar eheh

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

TAG Palavras Cruzadas

Então não acabo a leitura actual, 'bora lá ás TAG's :P

Esta TAG foi criada pela Inês do Inês Books, mas encontrei-a no blog da Cata :)


1) Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente) 

O Principezinho. Apesar de parecer um livro simples, mais indicado para crianças, gostei imenso de o ler (já o fiz em diferentes etapas e idades) e a sensação de deslumbramento incrível. Pois, na sua simplicidade, é-nos aberta uma porta para um mundo que embora complexo, tem muito de maravilhoso.

2) Maldito plágio (um livro que gostávamos de ter escrito)

Qualquer livro de Agatha Christie. Sou uma grande fã de Hercule Poirot ou de Miss Marple, e adorava ter um décimo do talento dela para escrever policiais tão intrigantes e envolventes como os seus. De tantos, escolho o Um Crime no Expresso Oriente.


3) Não vale a pena abater árvores por causa disto

Ando para aqui a dar voltas e voltas à cabeça e, para além dos últimos dois livros em que desisti nem a metade (Jogos Secretos e O Remédio), não me recordo de mais nenhum que se insira nesse critério. Será que se pode repetir?xD

4) Não és tu, sou eu (um livro bom lido na altura errada)

Expiação. Talvez não tenha sido a altura mais propicía para dar início a esta leitura, e por isso só há segunda vez o consegui "compreender".

5) Eu tentei… (um livro que tentámos ler mas não conseguimos)

O Remédio. Eu tentei, mas... cheguei simplesmente a um ponto em que, não só tinha perdido o fio à meada, como também não tinha motivação para continuar.

6) Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro que teve um final surpreendente)

Jogos Secretos. Para mim, aquilo tinha mais de telenovela do que do estilo de romance propriamente dito a que estava acostumada da autora.

7) É tão bom, não foi? (um livro que devorámos)

Amor e Chocolate. Uma combinação e tanto, se querem saber, e que foi num instante eheheh

8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)

Bo Goodnight, aquele metro e oitenta e tal de charme e músculo e olho azulão. O moço no Fumo Azul, portou-se bem, aliás muito bem, na cozinha! :P (ai se o namorado lê isto ahahah)

9) Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)

O Aroma das Especiarias. Não é que não tenha gostado do livro, porque até gostei, mas senti que a certa altura, a história podia ter-se desenrolado com outra desenvoltura. Assim, mais rápido!


10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Crónica de Paixões & Caprichos. Ando há já algum tempo para comprar este e os restantes livros, mas ainda nao cedi à tentação. Mas ai se me saísse o euromilhões *-* 

11) O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia)

Asas. Gostei da história, já da capa...

12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)

Se há livro que já me fez rir a bom rir a meio da noite foi o Doce Vingança. A sério, rapazes, não deviam sequer considerar enganar uma mulher. Mais cedo ou mais tarde acaba por vos sair o tiro pela culatra. E ao Greg, foi trigo limpo, farinha amparo muahahaha

13) Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

O Diário da Nossa Paixão. É daqueles livros que nos toca de tal forma que... Bem acho que é geral.

14) Este livro tem um v de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

Por norma, desde que tratem os livros da mesma forma que eu, não tenho problema nenhum em emprestar :)

15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)   

Na Sua Pele. Andei uns tempos curiosa com este livro, porém, depois de mo terem oferecido, anda ali na procrastinação, pelo que não sei quando é que lhe vou pegar lool




 Divirtam-se a explorar as prateleiras da vossa estante, como eu me diverti ehehe

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Finalmente é sexta...

Olá, olá!
Esta semana foi um autêntico corrupio!
Entre testes, trabalhos, muito estudo e poucas horas de sono (é já para me ir habituando lol), foi-me impossível vir até aqui... Nem tive tempo para ler, nem para deixar aqui o resultado de umas TAG's que encontrei no blog da Cata e da Chaise Longue.
E apesar de ter o fim-de-semana para estudar, nada muda o facto que hoje é sexta-feira (amén), mesmo que chuvosa, e vou tirar um tempinho para me dedicar ao blogue e fazer algumas actualizações ehehe

Então como correu a vossa semana? :)

Beijinhos e boas leituras!

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Picture Puzzle #11




Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar que representem as palavras que compõe o título (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal

O Picture Puzzle desta semana é inspirado numa autora estrangeira, cuja maioria dos livros me tem proporcionado uma leitura agradável, com uma boa dose de gargalhadas à mistura.

Prontos? Aqui ficam os puzzles desta semana:


Puzzle#1
Pistas: Título traduzido para português, no Particípio Passado


Puzzle #2
Pistas: Título traduzido para português, romance















Boa Sorte e divirtam-se!

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Picture Puzzle #10




Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar que representem as palavras que compõe o título (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal

O Picture Puzzle desta semana é inspirado numa autora estrangeira, cuja maioria dos livros me tem proporcionado uma leitura agradável, com uma boa dose de gargalhadas à mistura.

Prontos? Aqui ficam os puzzles desta semana:

Puzzle #1
Pista: obra de título em português


 
Puzzle #2
Pista: obra de título em português
Nova Pista: Género Fantástico





Divirtam-se e boa sorte!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Para descontrair

Já se passou muito tempo (talvez mais do que deveria :p) desde a última vez que li uma das obras de George R.R. Martin. Porém, quando vi isto, não consegui conter uma certa gargalhada, e quis partilhar convosco ;)


domingo, 29 de setembro de 2013

Inferno - Dan Brown - opinião


Título Original: Inferno
Autora: Dan Brown
Editora: Bertrand Editora
Número de páginas: 551

Sinopse:
«Procura e encontrarás.»

É com o eco destas palavras na cabeça que Robert Langdon, o reputado simbologista de Harvard, acorda numa cama de hospital sem se conseguir lembrar de onde está ou como ali chegou. Também não sabe explicar a origem de certo objeto macabro encontrado escondido entre os seus pertences.

Uma ameaça contra a sua vida irá lançar Langdon e uma jovem médica, Sienna Brooks, numa corrida alucinante pela cidade de Florença. A única coisa que os pode salvar das garras dos desconhecidos que os perseguem é o conhecimento que Langdon tem das passagens ocultas e dos segredos antigos que se escondem por detrás das fachadas históricas.

Tendo como guia apenas alguns versos do Inferno, a obra-prima de Dante, épica e negra, veem-se obrigados a decifrar uma sequência de códigos encerrados em alguns dos artefactos mais célebres da Renascença - esculturas, quadros, edifícios -, de modo a poderem encontrar a solução de um enigma que pode, ou não, ajudá-los a salvar o mundo de uma ameaça terrível…

Passado num cenário extraordinário, inspirado por um dos mais funestos clássicos da literatura, Inferno é o romance mais emocionante e provocador que Dan Brown já escreveu, uma corrida contra o tempo de cortar a respiração, que vai prender o leitor desde a primeira página e não o largará até que feche o livro no final. 

Sobre o Autor: (*)
O escritor norte-americano Dan Brown nasceu em 1965 em New Hampshire, nos Estados Unidos da América, sendo filho de um professor de Matemática e de uma intérprete de música sacra.  
Tentou fazer carreira como compositor, pianista e cantor. No entanto, este plano de vida fracassou e Dan Brown acabou por ir estudar história da arte em Sevilha, em Espanha. Em 1993 regressou a New Hampshire para se tornar professor de inglês na escola onde tinha estudado. Passados dois anos, os serviços secretos norte-americanos foram à sua escola buscar um aluno que consideravam uma ameaça nacional por ter escrito, na Internet, que era capaz de matar o presidente Bil Clinton. Dan Brown ficou tão interessado no assunto que começou a fazer pesquisas sobre a Agência Nacional de Segurança. Acabou por resultar desse interesse a escrita do seu primeiro romance Digital Fortress, que foi lançado em 1996 com algum sucesso.
Dan Brown é autor de O Código da Vinci, Anjos e Demónios, A conspiração, Fortaleza Digital, O Símbolo Perdido e Inferno, obras com grande sucesso e editadas em Portugal pela Bertrand Editora.

Opinião:
Assim de chofre, este é um livro em que nada é o que parece, e quando se pensa que é a, o autor troca-nos as voltas até percebermos que afinal é b. Li-o praticamente de uma assentada, enquanto esperava no aeroporto do Funchal para regressar a Lisboa. E não deixa de ser notável quando finalmente erguemos o olhar para o mundo, que continua a girar à nossa volta, e ficamos surpreendidos por ter passado tanto tempo.
Nesta história, o Professor Robert Langdon embarca numa aventura, sem o mínimo resquício de memória dos últimos dois dias, viajando pelo Inferno, parte da célebre obra de Dante Alighieri, A Divina Comédia.
Desenrolando-se em cenários de tirar a respiração, Florença, Veneza e Instambul, Robert Langdon e a jovem médica Sienna Brooks, tentam, numa corrida contra ao tempo, impedir o culminar de uma tragédia que ameaça o mundo. Mas sendo perseguidos em todo o seu percurso, conseguirão chegar a tempo? E saberá Robert em quem poderá confiar?

Gostei imenso deste livro e parece que todas as palavras que tinha a escrever se ficaram por lá eheh
Penso que a só a sinopse fala por si, e chama o leitor a pegar-lhe, como que num ciciar hipnotizante. Muito à semelhança dos livros anteriores, Dan Brown consegue cativar o leitor de tal maneira que lhe dá a conhecer e o leva pelos caminhos mais recônditos e enigmáticos possíveis da história e do mundo, numa aventura em espiral, e sem sair do lugar!
Já ouvira falar da obra em questão, A Divina Comédia, mas na altura, a curiosidade não me levou a ir mais além. Todavia, e felizmente, Dan Brown regou a sementinha, pelo que, assim que acabei o livro, pus os neurónios a funcionar, e encontrei maneira de poder ler a obra de Dante. Não sei quanto tempo levarei a ler, mas assim que o fizer, virei aqui partilhar convosco :)

Confesso que a vontade é debitar sobre tudo o que há a dizer, mas, correndo o risco de fazer spoilers, convido-vos antes a escolher um local confortável da vossa preferência, e a perderem-se nas páginas deste livro :)

Classificação: 4/5


(*) A Biografia do Autor foi retirada da Wook mas abreviada, pois era muito extensa. A meu ver, deixei o essencial, incluindo algumas curiosidades que desconhecia sobre o mesmo.

Fumo Azul - Nora Roberts, opinião


Título Original: Blue Smoke
Autora: Nora Roberts
Editora: Edições Chá das Cinco
Número de páginas: 416

Sinopse:

O incêndio que destruiu o negócio da família da jovem Reena Hale mudou a sua vida para sempre. Vizinhos e amigos ajudaram os Hale a reconstruir o que perderam, mas ao testemunhar a beleza destruidora do fogo, Reena decide dedicar-lhe a sua vida. Mas ela não é a única a sentir-se fascinada pelas chamas. Há mais alguém seduzido por esse poder, alguém obcecado não só em conquistar o fogo, mas em o usar para uma vingança brutal.
Quando a jovem realiza o sonho de se tornar bombeira, descobre que é o maior desafio que alguma vez viveu… com excepção da sua vida amorosa, claro. Até que conhece Bo Goodnight. Ele é diferente e, agora que encontrou Reena, não a quer deixar ir. Infelizmente há outro homem interessado nela. Alguém que a persegue com uma série de crimes horrendos. E enquanto Reena tenta localizar a origem de tanto ódio contra si, terá que enfrentar um inferno, mil vezes pior do que o fogo.

Sobre a Autora:


Nora Roberts é considerada um verdadeiro fenómeno editorial. Desde o dia em que começou a escrever histórias a lápis, o sucesso nunca mais a largou. Muitos dos seus mais de 150 livros foram já adaptados ao cinema e estão traduzidos em cerca de 26 idiomas.
Com mais de 250 milhões de cópias dos seus livros impressas e mais de 100 livros na lista do New York Times até à data, Nora Roberts é indiscutivelmente a escritora de ficção feminina mais célebre e amada dos dias de hoje. 


Opinião:

Nora Roberts volta a cativar-nos com mais uma das suas história, desta feita, em redor do fogo.
Catarina Hale, mais carinhosamente chamada por Reena, viu toda a sua vida marcada pelo tom bruxuleante das chamas. Desde a noite em que vira o restaurante da família ser consumido pelo fogo, sem ainda estar consciente, decidiu dedicar-lhe a sua vida e fazer dele o seu trabalho. Até chegar a detective na Brigada de Incêndios, Reena teve de muito batalhar e continuar o seu percurso, independemente da tragédia estar presente.
Paralelamente, Bo Goodnight parece ter vivido a sua vida em busca d'A Rapariga de Sonho. E por entre encontros fugazes e desencontros, acabam por se encontrar (aleluia!), ainda que da forma mais aleatória possível - descobrem que são vizinhos.

Pessoalmente, também não me importava nadinha, de todo, de ter um metro e oitenta e picos, carpinteiro, altamente bem constituido e uns olhos que ui! (e conhecendo os gostos de Mrs. Nora Roberts, penso que estão por dentro do assunto :p).
Enquanto o a história se desenrola, com muitos pontos interessantes, esta é, uma vez mais, pontuada pela tragédia. Porém, desta vez, Reena não irá permitir que mais nada seja ceifado pelo fogo, nem irá descansar até apanhar o responsável. Nem que para isso tenha de arriscar a sua própria vida.

Ora bem, este é um daqueles romances estilo policial que mais me agrada ler. Isto tendo em conta o factor Nora Roberts, que engloba uma série de características que conseguem cativar o leitor. No que toca a ambientes, adorei todo aquele que girava em torno da Família Hale - uma família italiana, muito unida entre si -, com o suave aroma à bela cozinha italiana, que parecia chegar até mim, por entre as diversas páginas.
O vasto leque de personagens também contribuiu para uma leitura fluída e agradável. Se bem que houve uma ou outra - ou duas ou três - que me irritavam solenemente. Na questão do romance, confesso-me culpada em momentos que só queria saber quando é que eles iam ver-se cara a cara, por um minuto completo, sem que o outro tivesse de se ir embora. E quando finalmente aconteceu, senti a respiração em suspenso, extravasar numa sonora gargalhada.
E por fim, o véu de mistério, deu aquele toque de tirar o fôlego, desde a primeira à última página.

Este é um livro que não foge ao que autora já habituou os leitores portugueses. Recomendo-o vivamente, e agradeço por estar em tão grande conta. (A sério, mas que achado!)

Classificação: 4/5

E as meninas que também tiveram oportunidade de o ler, que acharam? :)

(In)temporais

Bom dia!
Ai, eu sei que já é Outono, mas este S. Pedro podia poupar-nos a toda esta chuva que caí a rodos lá fora.
Com estes dias, a vontade é de nos enroscarmo no so fá numa manta, com um livro e uma bebida quente. Isso e mandar à fava os trabalhos que há para fazer...
Ah, São Pedro, vida injusta!, hein? :p


Bom domigo e boas leituras!*

domingo, 22 de setembro de 2013

Nomeia a Pilha! [Selo]


Encontrei este selo no blog da Mónica, A Thousand Lives. E achei super interessante.
Ainda bem que neste mundo há pessoas com originalidade e paciência para criar selos fantásticos como estes. Por isso, um obrigado à Mafi e à Ne do Algodão Doce para o Cérebro :)

A princípio, pensei que não ia conseguir construir a minha pilha, e lá ia ter de optar pelo meu primeiro nome :P Mas sob um olhar mais atento, lá percebi que estava erra. E pois então que cá está a minha pilha:


           Louca por Compras
A ilha das Garças
     A Árvore dos Segredos

Então, atrevem-se a criar as vossas? :)
Podem ver o post original e aderir à iniciativa aqui.

O Remédio - Michelle Lovric, Opinião

 
Título Original: The Remedy
Autora: Michelle Lovric
Editora: Edições Chá das Cinco
Número de páginas: 432

Sinopse:
Numa noite inesquecível de 1785, a alquimia do amor e do crime, funde as vidas de uma actriz de Veneza e do rei do crime londrino.
Numa noite inesquecível de 1785, num famoso teatro londrino, a alquimia do amor e da morte funde subitamente as vidas de uma actriz veneziana e de um aristocrata inglês. Mas nenhum deles é quem aparenta ser. Ela é uma espia ao serviço de Veneza, ele, o maior charlatão de Londres. Segredos perigosos e mentiras elaboradas cedo empurram os dois amantes em direcções opostas, desesperados em saber a verdade um sobre o outro, mas também sobre si próprios. É um tempo de remédios fabulosos - excremento de pavão e pó de ouro são considerados tão eficazes quanto serpentes esmagadas - e os amantes procuram um bálsamo para aplacar todas as doenças, todas as feridas do amor. A sua busca leva-os das ruelas mais obscuras de Londres à enigmática Veneza. Uma dança entre teatros e bordéis, boticários e conventos, onde o par pode ser um fidalgo, um espião ou um assassino. 

Sobre a Autora:
Michelle Lovric é romancista, escritora e antologista. Escreve críticas para publicações, incluindo The Good Book Guide e The Times e escreve artigos turísticos sobre Veneza. Participou em inúmeros documentários sobre Veneza na rádio da BBC. Concilia o seu trabalho de ficção com edição, design e criação de antologias literárias, incluindo as suas próprias traduções de poesia em latim e italiano. O seu livro Love Letters foi um best-seller do New York Times. Possui uma enorme base de dados de material em texto e visuais com biografias, poemas e cartas de amor, imaginação feminina e masculina, expressões arcaicas, calão e palavrões e sobre assuntos de índole médica esotérica. Lovric divide o seu tempo entre Londres e Veneza. Organiza Workshops na sua casa em Londres com escritores de poesia e prosa, ficção e biografias. É casada com o destacado arquitecto britânico Graham Morrison.

Opinião:
A história começa com uma narrativa na primeira pessoa pela protagonista, creio eu, que, contra sua vontade, professou os votos de noviça. Com o desenrolar, acompanha-se a sua vivência no convento de San Zaccaria, com a sua grande quota parte de revéses. Até que chegamos a uma segunda parte, e a história muda completamente de registo e de rumo. Infelizmente, perdi o fio à meada e o interesse, pelo que não passei da página 66.
Apesar de tudo, gostei das descrições de Veneza e do ambiente vivido não só pelas irmãs como também pelas pessoas em geral, nomeadamente, sob a perspectiva das divisões sociais. O pormenor das receitas no início de cada capítulo também acrescentou um pequeno quê de interesse.
Contudo, há imenso tempo que não abandonava assim a leitura... Não sei se alguma vez o voltarei a pegar e começar a leitura do zero, mas por enquanto há-de ficar na estante. Fiquei desiludida, porque em parte tinha criado algumas expectativas. E o cliché, se soubesse o que sei hoje, tinha trazido outro livro da saga de J.D. Robb para casa...

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Ausências e actualizações

Boa noite a todos :)

Depois desta ausência que acabou por se prolongar mais do que estava previsto, estou uma vez mais de volta. E, a título mais de partilha, vou contar-vos por onde andei :)
No início de Setembro fui visitar pela primeira vez a Madeira. Foi uma estadia muito agradável, S. Pedro resolveu-se a manter o bom tempo, passeei - as paisagens que fui encontrando, absolutamente de cortar a respiração, flores tão coloridas... :) -, descansei (amén!) e ainda pus a escrita e a leitura em dia.

Dos livros que levei - o Inferno de Dan Brown, e O último fôlego de George D. Shuman - ficou tudo lido (a opinião ainda a cozinhar no forno), inclusivé o Inferno foi praticamente lido no aeroporto, devido a n complicações até chegar a Lisboa lol

Entretanto, esta 2a as aulas começaram - mais um semestre pela frente, um passo em direcção àquilo que me quero tornar: enfermeira :) - e, já se adivinham tempos stressantes, com testes, trabalhos, muito estudo... Mas como não há nada melhor que um bom livro para desanuviar a mente, vou continuar a ler, por onde der eheh
Hoje a caminho da faculdade comecei a ler o livro Morte em Pemberley e tenho um pressentimento de que vou gostar. Afinal, trata-se de uma combinação de uma aclamada autora e das personagens intemporais de Orgulho e Preconceito :)

Por enquanto não tenho mais nada a acrescentar. Naah, afinal até tenho: amanhã é sexta! Bendito fim-de-semana! Com o horário que está programado para a próxima semana, bem preciso de manter as baterias ligadas à corrente xD

Então e vocês? Como estão e como vão essas leituras?
Beijinhos*

domingo, 1 de setembro de 2013

Resultado 1º Passatempo - Maria Antonieta de Antonia Fraser



Olá olá!
Aqui fica o resultado do 1º passatempo lançado pelo blog.
Foram totalizadas 9 participações, e quero agradecer a todos pela vossa participação.
O vencedor foi apurado através do random.org.


O número sorteado foi o nº3!
Muitos Parabéns Clarinda Cortes - Cano

Boas leituras!

De volta!

Boa tarde a todos!
Depois desta pausa fantástica, estou de volta ao blog, mas apenas por um par de dias pois terei de me voltar a ausentar.
Mas enquanto isso não acontece, tenho novidades a partilhar convosco :)
Enquanto estive fora, chegou-me a notícia de que ganhei o livro "Morte em Pemberley", de P.D. James, num passatempo lançado pelo blog Clube dos Livros :D; e emprestaram-me o livro "Inferno" de Dan Brown. Estou ansiosa por dar início à leitura eheh


Ontem fui com uns amigos ao cinema e após um twist na escolha do filme, acabámos por ver " Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos " e numa só palavra A-d-o-r-e-i! Hei-de partilhar o que achei, e adianto já que faço grandes tenções de comprar o livro :D

Para finalizar, ainda hoje divulgarei o resultado do passatempo referente ao aniversário do blog :)

Beijinhos e boas leituras!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Picture Puzzle #9




Regras:
  • Escolher um livro;
  • Arranjar que representem as palavras que compõe o título (uma imagem por palavra, ignorando os "e, o(s), a(s), de, etc.);
  • Fazer o post e convidar o pessoal a tentar adivinhar o livro;
  • Podem ser fornecidas pistas se estiver a ser muito difícil de acertar no título, mas usá-las ou não fica inteiramente ao critério do autor do puzzle;
  • Notem que as imagens não têm de representar as palavras do título no sentido literal

O Picture Puzzle desta semana é inspirado numa autora estrangeira, cuja maioria dos livros me tem proporcionado uma leitura agradável, com uma boa dose de gargalhadas à mistura.

Prontos? Aqui ficam os puzzles desta semana:

Puzzle #1
Pista: obra de título em português










Puzzle #2
Pista: obra de título em português













Boa Sorte e Divirtam-se! :D